No dia 12 de setembro, a ANBEP participou de reunião na CABERJ, por solicitação das Entidades Representativas.
Em virtude de não terem se esgotado todos os assuntos da pauta encaminhada, foi marcada uma nova reunião, que se realizou no dia 26, ontem.

Importante ressaltar que, de forma extremamente positiva, um grupo de banerjianos compareceu à CABERJ e pôde,
diretamente, ouvir, perguntar, esclarecer, apresentar dúvidas e sugestões e obter respostas diretamente do Diretor Executivo da CABERJ, Dr. Haroldo Aquino Filho. As associações presentes à CABERJ não participaram desta reunião e, somente após a sua finalização, iniciou-se o encontro com as entidades presentes. Registramos aqui nossos parabéns aos banerjianos que lá
compareceram, esclarecendo todas as questões, deixando de lado notícias que estão se revelando tendenciosas e prejudiciais à nossa Caixa de Assistência à Saúde.

Participaram das reuniões:

Pela CABERJ: Diretoria Executiva, membros do CODEL, alguns de seus funcionários e o atuário; E os representantes das Associações:

ABANERJ, AFBER, ANBEP e ANSIB, além dos diretores do Sindicato dos Bancários Ronald Carvalhosa e Vera Luíza.

De início, o Dr. Haroldo agradeceu pela oportunidade de prestar esclarecimentos às entidades presentes e declarou que está certo de que :

 

Dr Haroldo Aquino – Diretor Geral – Caberj

ATÉ MEADOS DO ANO QUE VEM (2018), NO MÁXIMO, A CABERJ ESTARÁ COMPLETAMENTE EQUILIBRADA E COM SUAS CONTAS ZERADAS.

Assuntos tratados:

Prefeitura – O Diretor Geral admitiu que o CONVÊNIO COM A PREFEITURA não se revelou um bom negócio para a CABERJ, creditando esse erro ao risco inerente ao negócio. Informou que o considerável prejuízo, como todos sabem, foi a razão da CABERJ não ter renovado tal convênio.

Acrescentou o Diretor que a Caixa de Assistência à Saúde está trabalhando muito no sentido de cortar gastos e, além de reduzir os custos em todos os setores, está demitindo funcionários, já que havia contratado pessoal para atender ao aumento da demanda quando da vinda da Prefeitura.

O balancete de julho ainda apresenta resultado significativamente negativo, em virtude do danoso contrato da prefeitura.

Novos Contratos – Segundo Haroldo Aquino, dissolvido o danoso contrato da Prefeitura, a CABERJ está em fase de recuperação, e citou novas contratações: TRF-2 – Tribunal Regional Federal da 2ª região ( 2.400 vidas ); NUCLEP, em fase final de contratação ( 3.500 vidas ) HOSPITAIS ISRAELITA e BADIN ( 2.000 vidas ) e outras instituições menores.

Plano Mater – Haroldo Aquino Filho falou sobre o nosso Plano Mater, repetindo o discurso que já conhecemos, ou seja, o envelhecimento dos seus participantes e também sobre o aumento sempre crescente dos custos decorrentes desse envelhecimento. Explicou que esta é a razão da grande necessidade de aumento de vidas, mais jovens, para contrabalançar os gastos com os mais idosos.

Reajuste da Mensalidade – Em relação ao reajuste das nossas mensalidades, em contraponto à nossa proposta de diluição do reajuste ao longo de 12 (doze) meses, após apresentação de diversas planilhas para demonstrar que, embora a Diretoria e Conselhos embora reconheçam que o reajuste é perverso, haja vista que os aposentados não terão aumento esse ano, é imprescindível manter essa correção como já divulgada e em fase de execução, admitindo avaliar essa questão somente no próximo ano.

PLAEF – A seguir, o Dr. Haroldo expôs o plano de recuperação, o PLAEF – Plano de Adequação econômico-Financeiro, traçado pelos técnicos da CABERJ, assessorados pela “PLURAL”, empresa contratada pela CABERJ para esta finalidade. Este plano foi apresentado à ANS e nele constam os passos que a CABERJ dará, daqui para a frente, ao longo de 2 anos, para atingir um resultado completamente satisfatório, informou o Dr. Haroldo Aquino.

Segundo o Contador da CABERJ , que fez a exposição da parte contábil da empresa, com as ações desse Plano, a empresa de agosto a dezembro, apresentará superávit; contudo, o balanço de 2017 ainda apresentará prejuízo, em virtude do déficit registrado no primeiro semestre. Tal prejuízo foi gerado, basicamente, pelo nefasto contrato da prefeitura. Todo este esforço, disse ele ainda, é para manter a Reserva Técnica nos valores atuais, descapitalizando-a o mínimo possível. Mencionou também, que na projeção para o ano de 2018 a perspectiva é de superávit ao final do primeiro semestre.

Ressalvamos que essas informações trazidas por ele são projeções, que podem não se concretizar, em função de fatores não
previstos.

Prosseguindo, a Diretora Denise Ramiro complementou a exposição do PLAEF, apresentando um cronograma de trabalho e ações bastante minucioso que, segundo ela demonstrou, tem sido cumprido, rigorosamente, por toda a equipe técnica e tudo vem sendo conferido com a Contabilidade, a fim de que sejam corrigidas, imediatamente, quaisquer eventuais distorções. Nada é feito aleatoriamente.

A ANBEP espera que estas medidas mencionadas se concretizem e tragam o resultado positivo que precisamos para nossa tranquilidade!

Novos Planos – A CABERJ está estudando dois novos planos MATER: Um, assim chamado de “POPULAR”, com uma rede bem mais enxuta, enfermaria, com preços menores do que o Mater Básico.

Um outro, embora com direito a quarto, com direito a quarto, teria uma rede reduzida, com preços entre o Mater Pleno e o Mater Executivo.

São ações que visam oportunidades para que todos possam continuar participando na nossa Caixa de Assistência à Saúde.

A ANBEP apresentou, ainda, sugestão para a criação de um novo Plano. A CABERJ aceitou a sugestão e irá aprofundar o assunto. Assim que tivermos uma posição mais concreta, informaremos aos associados.

Fechamento dos Núcleos – Dr. Haroldo esclareceu que o fechamento do “Núcleo Bangu” foi em razão de não estar dando o retorno esperado, além do valor do aluguel estar caro. A CABERJ está em busca de um local mais apropriado, com preço mais adequado e, estão avaliando a conveniência (ou não) da terceirização.

Finalmente, entendemos que nossa posição deve ser sempre esta: De colaborar, auxiliando no que estiver ao nosso alcance, apresentando sugestões e críticas, sempre construtivas, e informando aos associados.

Tal colaboração não significa, absolutamente, concordância total ou submissão a quem quer que seja.

Temos que cuidar da nossa Caixa e visar sempre o melhor para a CABERJ, evitando ações políticas ou ações movidas por simpatias pessoais. Gostar ou não gostar de pessoas é algo absolutamente normal e próprio dos humanos; entretanto, não se pode ter atitudes relacionadas à CABERJ, pautadas em bases pessoais e subjetivas.

Finalizando, deixamos claro que nosso entendimento é que o contrato com a Prefeitura foi altamente lesivo aos cofres da CABERJ e, por esta razão julgamos imprescindível que se faça uma apuração interna de responsabilidades, para definir o que realmente ocorreu e, se for o caso, punir os culpados; no mínimo, para que se tenha subsídios que evitem outros casos no futuro!

Ainda não há comentários

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão sinalizados(*).

X